O camisola 8

Adora futebol. Por isso jogava no meio do campo com a camisola 8, igual ao ídolo. “Essa é a melhor posição, pega na bola o tempo todo”. Agora escreve sobre esse Mundo que é o futebol.
De tudo um pouco, na maioria das vezes sem saber o que diz, das outras sem saber o que dizer.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

E tudo Ricky falhou


  Em mais um bom jogo de futebol, a equipa de Domingos dominou e criou oportunidades suficientes para levar de vencida a excelente equipa que é a Académica, com vários jovens jogadores com imenso potencial, e muito bem orientada e organizada.
  Mas o seu ponta de lança, teve num dia Não, e com as suas três perdidas de golos feitos, em Coimbra ficou também mais dois pontos perdidos do Leão, que torna a atrasar-se depois de tão longa caminhada de recuperação. E já está a 6 pontos.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Volta estas perdoado



Depois de 80 minutos, o menino mau de Vitor Pereira consegue transpor um até à altura intransponível Peçanha. Um jogo que se avizinhava difícil para o Porto olhando para o histórico do Marítimo acabou por tornar-se numa vitória por 2-0 onde foi preciso 80 minutos e uma expulsão para o Porto marcar um golo. Vitor Pereira apesar de tudo pode abrir as prendas descansado pois no meio de tanta confusão em seu redor termina o ano 2011 em primeiro lugar com o Benfica. Devia começar a pensar em pedir a Pinto da Costa alguma contratações para Janeiro, ou então deixar de ser teimoso, porque pelo que parece uma das suas teimosias ontem conseguiu abrir o marcador.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Benfica diz adeus ao ano 2011 de mão cheia

O Benfica despede-se do ano 2011 com uns expressivos 5 a 1 contra um Rio Ave que queria estragar a festa ao adeptos benfiquistas.
Aspectos positivos?
Aparece um Saviola a dizer presente, um Cardozo a mostrar o que sabe fazer, marcar golos (É de notar que Cardozo em três jogos colocou a bola na baliza adversária por três vezes), um Nolito endiabrado, que com um pouco de sorte apresenta o seu estilo de jogo imprevisível e acima de tudo um Aimar que melhor que ninguém sabe ter a batuta de maestro na mão.
Penso que há razões suficientes para os benfiquistas festejarem o natal e o ano novo felizes, pois o Benfica da época 2011/2012 apresenta-se até ao momento invencível, com melhores ou piores exibições o que é certo é que Jorge Jesus este ano esta a construir uma equipa capaz de ganhar em quase todas as frentes, e digo quase todas porque a esta hora o Benfica deveria ter mais um jogo em Alvalade.

Nuno Assis



 Ao ver o Vitória de Guimarães jogar, não percebo como Nuno Assis nunca atingiu nada comparado com a verdadeira dimensão do seu futebol. Que é muito maior, que ele próprio.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A caminho da Europa

  




  5 Grandes Favoritos : os rivais de Manchester, Valência, Porto e Sporting.
  Objectivo : Ganhar a liga Europa.
  
  Não podemos esperar que alguém os elimine ou que caiam antes de jogar connosco, se queremos ser grandes, temos que crescer. Mais vale os eliminar agora, do que jogar as finais contra eles, onde estão certamente mais concentrados na competição que agora. É pois um bom sorteio, temos 2 hipóteses de fazer cair o grande candidato, e daí sair uma valorização enorme para o conjunto que o conseguir. 
  Uma equipa só pode vencer uma competição se for melhor que as outras, e como tal terá que vencer todas. É isso que nos espera. 
   Ao Braga calhou o "português" Besiktas, e posteriormente o vencedor do Lazio-Atlético. Duas equipas que buscam na Europa a glória perdida em casa. Dois bons jogos em perspectiva!

 Não tenho dúvida nenhuma que junto do Valência e os vencedores destas 4 eliminatórias, sairá o vencedor da competição.


Liga dos Campeões: Há razões para sorrir. Na Champions não há jogos fáceis, mas talvez tenha calhado um dos menos difíceis, até tendo em atenção o calendário. Zenit não pode meter medo à grande equipa europeia que o Benfica quer ser. 

Há razões para acreditar, que hoje se deu mais um passo para elevar o nome de Portugal. Acredito em 4 vitórias, e sei que continuará a haver Portugal na Europa. A alto e a bom som.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Perde-se o presente, ganha-se o futuro.



  Não deu para mais, foi notórias as imensas dificuldades sentidas pela equipa leonina para reagir às adversidades. Defensivamente sem cometer erros clamorosos foi dando espaço à perigosa equipa italiana, e adivinhava-se o golo. Quando o gigante Onyewu não conseguiu cortar, a Lazio fez o golo que deitou por terra as possibilidades de vitória. Numa jogada onde surgiu 4 jogadores apenas para Carrilo num lance de futebol aéreo. Algo correu mal.

  No inicio do jogo, a equipa era a esperada, mas confesso que ansiava ver Schaars com a braçadeira, desilusão, quando foi André Santos que entrou à frente dos companheiros, no meio de tantos meninos, queria ver o Holandês a mostrar a liderança. Foi pena, mas também pouco mais mostrou, foi sempre facilmente engolido pelos adversários e passou ao lado do jogo. Tal como Rubio ou Bojinov.

  Se Bojinov é a segunda opção para avançado, não percebo porque jogou na Ala, acho que ele precisa de minutos e confiança onde pode render mais. Rubio passou completamente ao lado do jogo, e revelou-se ainda muito verdinho. Tem muito tempo para crescer. Tempo esse que foi dado a André Martins que vai sabendo ir conquistando os seus espaços, pautinamente. Não queimando etapas como Pereirinha, que foi forçado a mostrar muito e depressa, e que hoje fica sempre aquém do esperado pelo potencial demonstrado, e que cada vez mais vai continuando a ser apenas isso potencial.

  Ilori fez um grande jogo, principalmente na sua parte, um jogador com a sua altura, ter a sua velocidade é pouco comum. E com a tranquilidade demonstrada, provou o porque da aposta. A qualidade está lá. João Mário teve uma oportunidade e é mais um a mostrar o enorme talento desta geração. 

  Ofensivamente vivemos apenas das investidas de Carrilo, é bom dar-lhe minutos e protagonismo, tem que aprender muito. Bem , mas a qualidade está lá.... de repente fiquei com saudades de Nani.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O Mito da altura

  Ou como as defesas querem-se grandes, e equipas altas é que ganham campeonatos. É que já nem vou falar  do Barcelona, ou da mais valia que é João Moutinho com Bellushi, ou Aimar com Gaitán e Saviola. Ou de grandes defesas como Puyol, Córdoba ou Carvalho.
  Felizmente que o futebol evoluiu, e que não são os grandes  fortes que imperam. No bom futebol não há afundanços ou ressaltos, o futebol, o  bom, joga-se no chão, com qualidade, e aí pouco importa o tamanho, a força ou a dimensão. Por isso não me venham com tretas, que o Sporting tem uma equipa baixa, e que não ganha campeonatos assim. Tretas. Não jogamos nas distritais, aqui impera a competência, se me falarem de falta de estratégia, coordenação entre jogadores, falta de timing de ataque à bola, falta de concentração, excesso de relaxamento...tudo bem. Agora altura? o Sporting foi campeão à 10 anos com uma equipa com a mesma média de altura, e com uma defesa bem mais baixa. Qual era a diferença? Para além da competência, era a classe! Quando se joga pelo chão, ninguém tem que ganhar bolas de cabeça. Por isso vamos lá, para com as desculpas, e trabalhar para saltar mais e melhor, atacar a bola com convicção e lutar por cada lance como se fosse o último.


Época 2011/2012


Rui Patrício - 1,90m
João Pereira - 1,72m
Daniel Carriço - 1,82m
Anderson Polga - 1,83m
Evaldo - 1,85m
Fito Rinaudo - 1,76m
Stijn Schaars - 1,78m
Marat Izmailov - 1,72m
Diego Capel - 1,73m
Jéffren - 1,76m
Bojinov - 1,80m

Média equipa : 1,78m
Média Defesa 1,80m

Época 2001/2002

Nélson - 1,85m
César Prates - 1,74m
Phil Babb - 1,82m
André Cruz - 1,82m
Rui Jorge - 1,70m
Rui Bento - 1,75m
Paulo Bento - 1,75m
João Pinto - 1,71m
Pedro Barbosa - 1,82m
Marius Niculae - 1,84m
Mário Jardel - 1,88m

Média Equipa: 1,78m
Média Defesa: 1,77m

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Sporting Clube de Estrangeiros




  i) O Futebol é um negócio global.
 ii) Não cabe ao Sporting defender o interesse nacional.
 iii) O Clube perdia em comparação com os adversários, por estes apostares em jovens com potencial, embora estrangeiros. E com os eventuais negócios, apesar de estarem relacionados também com os resultados, e neste caso, a falta deles.

  Tudo verdades. mas a realidade é que um clube que se gabava de ter um enorme contingente de representantes nacionais nas suas fileiras, e de ser um marco na aposta no jovem jogador a nível mundial degenerou-se no último defeso. E se do ponto de vista desportivo, está a seguir as pisadas globais, do ponto de vista nacional é desastroso, é urgente se começar a defender o interesse da selecção nacional ou corre-se o risco de pôr o jogador português em causa. Quando a bandeira da formação, se transforma num clube que contrata 16 estrangeiros numa época, é um péssimo sinal para o futebol português. E se agora no final da temporada, o Sporting regressar aos títulos, alguém se lembrará disto? Claro que não, são os resultados que mandam, mas é urgente reflectir sobre este assunto, para que um dia, não digamos, foi tarde demais.

Sporting 2009/2010
Rui Patrício, João Pereira, Carriço, Tonel, Pedro Mendes, Miguel Veloso, Abel, Adrien Silva, João Moutinho, Djálo, Postiga, Tiago, Caneira, André Marques, Pereirinha e Carlos Saleiro.
16 Portugueses. 9 Prováveis Titulares.


Sporting 2011/2012
Rui Patrício, João Pereira, Carriço, André Santos, Tiago, Pereirinha e André Martins.

7 Portugueses, 2 Titulares.


 Só o futuro nos dirá, se esta razia e mudança de paradigma terá razão, mas que é grave para Portugal, é. Muito grave.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Está tudo doido?!




O titular na selecção nacional. E que provavelmente será o titular no Euro2012.
O avançado mais utilizado por Domingos, saí no último dia de transferências por 1M€.

Saiu um dos poucos jogadores com capacidade técnica para fazer a diferença e um dos que indubitavelmente respirava futebol! Podia falhar golos, podia enviar bolas ao poste, mas cada toque na bola era intencional e transpirava qualidade futebolística. Saí sem nunca ter sido entendido.
A pressão dos assobios é assim tão imensa para ser Lei? Um dos requisitos mínimos para se gerir um clube de futebol, ou pelo menos ter poder para tomada de decisões, é que se perceba mais de futebol do que os treinadores de bancada, e se são esses que passam a mandar, através de minorias sonoras, alguma coisa está mal. Muito mal. 

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Messi, Robben, Capel


Salvo as devidas distâncias, a forma de progressão com bola de Diego Capel, com a bola sempre colada junto ao pé esquerdo, como se estivesse agarrada à sua bota por um fio de magia, que a nós, meros mortais, não é possível vislumbrar, é igual à dos Magos, como os referenciados, é a sua forma de vida.

A capacidade de explosão, depois de - quase - sempre receber bem a bola, com a bola junto ao pé e não em cavalgadas não está ao alcance de qualquer futebolista. Quando recebe a bola e parte para cima dos adversários tem lampejos de Arjen ou de Lionel, ou seja de génios. Conseguisse ele levantar a cabeça como os mestres - para assim decidir melhor, que é o seu problema - e teria tudo para chegar a um patamar próximo do deles.

A melhorar : Não tender tantas vezes a verticalizar o jogo, pois não se pode resumir a ser o típico extremo que vai à linha e centra. Porque i) não existe um jogador de área que concretize ii) é muito mais jogador que isso. Tem que procurar mais espaços interiores em progressão, para assim abrir espaços e poder ter mais soluções, e não pode apenas o fazer quando está na direita (puxar para dentro) e evitar quando está na esquerda (verticalizar).

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Sporting de Domingos


  


Após a visualização do primeiros jogos do Sporting eis algumas anotações pessoais:

- O Sporting está melhor. Domina mais, está mais forte psicologicamente, assume o jogo, pegue na bola e circula-a. Jogo mais à grande, e menos aos repelões como o ano passado.

- Defende muito melhor. E aqui é a imagem de marca do Domingos, e percebe-se porque. A equipa de facto defende melhor, como um bloco,pressiona, é forte nas compensações e melhorou nas bolas paradas, e com o passar dos jogos. este processo evoluirá e será ainda melhor.

- Domingos tenta "recuperar" jogadores como Polga, Evaldo e Djálo. Mas com respostas diferentes, Polga está a responder magnificamente à aposta nele, e não sei se terá alguma coisa a ver com o peso da braçadeira. Cada vez mais no Sporting, vejo acontecer, que, ao Capitão se equipa se exige mundos e fundos,  exercendo uma pressão tremenda de levar a equipa às costas, quando devia ser apenas um líder. Nem todos sabem liderar homens e comandar grupos, e para algumas é mesmo um problema. Evaldo, continua a  mostrar pouca qualidade no processo ofensivo, e para uma equipa que em 80% dos jogos, joga com bola no meio campo adversário é drástico, que um jogador que podia causar imensos desequilíbrios, nem um consiga fazer. Por último, Djálo, continua a desiludir imenso, cada época que passa, adivinha a confirmação de todo o seu potencial, e acaba sempre por ser mais uma desilusão. Com esta época chega ao fim, o seu período de crescimento, e ou explode ou tornar-se-à mais um Lourenço.

- Pegando nesta estatística brilhantemente elaborado pelo Filipe Viera de Sá. Ficamos com uma ideia, que o que tem faltado ao Sporting, não são oportunidades, é eficácia. É essencial ganhar hoje, para se começar a traçar um trilho de confiança. O Processo ofensivo não está delicioso, nem deslumbrante, mas está melhor que no passado recente. E se tivermos em conta que Capel, Jéffren, Izmailov e Mátias ainda não jogaram juntos, pode-se acreditar ainda que é possível fazer muito melhor. 

- Meio campo. Rinaudo não está tão forte como se inicialmente pensou. No último jogo perdeu 2 ou 3 bolas demasiado fáceis e em posição preocupante, apesar de toda a dedicação e entrega ao jogo, deixa a ideia que quando mais a equipa jogar, mais ele jogará. Schaars, sinceramente, está a ser a desilusão. Esperava muito mais dele, e espero. Não pode ser só o pé esquerdo, tem que dar mais intensidade ao jogo, por uma mudança acima, aparecer mais como apoio frontal junto à área, pegar na bola, rodar jogo, passar, tabelar, enfim, aparecer no papel que todos esperam dele. No pêndulo do meio campo. Os dois melhores jogadores do passado recente do Sporting, Izmailov e Mátias, ainda não se apresentaram em condições. E os dois novos desequilibradores ainda não estão a 100%, Capel e Jéffren. E será muito nos pés destes dois, que assentará a esperança leonina desta época.

- No ataque, as críticas a Postiga são de uma injustiça tremenda. Será com Mátias, o jogador que mais entende futebol no plantel, vê-lo com a bola nos pés é sentir a bola a ser bem tratada. Vê-lo como na segunda parte em Aveiro a vir buscar bolas ao meio campo defensivo e a lutar imenso, é a prova que ele mais que ninguém está empenhado e dedicado a alterar a situação, e quando a equipa estiver a funcionar melhor, e entrar uma bola, entrarão logo uma mão cheia delas.

Para hoje o meu onze é: Patrício, João Pereira, Onyewu, Polga e Evaldo; Rinaudo, Izmailov e Schaars; Postiga, Capel e Wolfswinkel. Com o Izmailov no meio, a assumir o jogo. 


terça-feira, 16 de agosto de 2011

1ªs Curtas da Liga 2011/2012 (I)






  Não nos tem sido possível actualizar o blog ao ritmo desejado, pois temos usufruindo de uns merecidos dias de férias, e queremos antes de mais pedir desculpas aos leitores que se sentiram defraudados. Mas a época começa agora e cá estaremos para continuar a escrever, ou pelo menos fazer algo próximo, sobre a nossa paixão. O Futebol.

  Começou a Liga 2011/12 e à primeira vista, nada mudou. O Porto já leva vantagem dos restantes. Mas não é bem assim, há sinais, pelo menos numa primeira impressão, que faz-nos ter esperança que este será um campeonato mais interessante e com mais competição que o anterior. E existiram boas surpresas.

  Gil Vicente 2 - 2 Benfica

  O Benfica apesar de ter estado a vencer por 2-0 em Barcelos, não conseguiu segurar a vantagem. E há aqui muito mérito do Gil Vicente. Ao intervalo, o resultado de era injusto para a turma de Barcelos, pois na primeira parte foi mais esclarecida e regular que a equipa de Jesus, apesar de não ser tão intensiva, e como coloca menos homens no movimento ofensivo, parecia que aceitava o resultado, pois arriscava pouco. Erro crasso, o Gil Vicente fez do ponto de vista táctico um jogo bastante interessante, destaque para os dois médios centros, Vilela e Luís Manuel que conseguiram ser um autêntico tampão à frente da defensiva e "secaram" Aimar, e mesmo Witsel foi menos exuberante que em outros jogos. André Cunha o número 10, foi também bastante importante, pois apesar de fechar junto aos colegas do sector intermédio no processo defensivo, teve fôlego para ser o elemento que chegava junto de Hugo Viera e o apoiava. Luis Carlos enquanto teve força foi um bom problema para a equipa encarnada. Uma boa surpresa este Gil Vicente, que está bem orientado e com algumas soluções interessantes, resta saber se será apenas aquele típico fôlego extra contra equipas grande sou conseguirá manter este nível de produção.

Sporting 1 - 1 Olhanense
  Não é o continuar do anos anteriores. O Sporting está a jogar, muito, mas muito mais à bola. Faltou apenas alguns pormenores ( finalização e aproveitar melhor as bolas paradas...) para conseguir materializar tamanha superioridade em golos. Foi um domínio avassalador. Pressão alta, rápidas recuperações de bola, e grande intensidade competitiva. Rinaudo come metros e metros de relvado, é um jogador com um capacidade de antecipação e leitura de jogo extraordinária. Jeffrén enquanto durou foi um elemento mais, e deixa os adeptos de futebol com água na boca, ao vislumbrar Capel e Jeffrén em forma nas alas leoninas. E Mátias. E Bojinov. Este ano se as lesões deixarem, há cartas para baralhar a tornar a dar. A ver vamos, pois sem dúvida este Sporting depende muito da capacidade dos seus responsáveis se conseguir prevenir e evitar as lesões tão constantes nos seus principais elementos. E Ainda há Izmailov, que sem sombra é o melhor jogador leonino. E voltamos a dizer. Fisicamente a 100% ( se tal for possível...) é fora de série. E vital.

(continua)

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Força de Acreditar!

  Com o avançar da pré-época o balão de entusiasmo leonino esvaziou-se num ápice. À medida que o Porto e o Benfica iam somando vitórias a algumas boas exibições, o Sporting ia somando derrotas. E pouca interessava as exibições. Queria-se glória, nem que fosse aquela efémera de pré-época. Hoje um pouco por todos os meios de comunicação social e principalmente na blogosfera (leonina?!)  começa-se a fazer sangue... O melhor de ser Sportinguista e fazer crer que não acredita no seu Sporting, que não tem esperança e ser o primeiro a criticar para depois poder afirmar junto dos rivais, que era esperado...

  Eu não. Eu acredito e confio numa boa temporada. Há bons reforços, há qualidade, há um excelente treinador e há a crença que se pode fazer...há que dar tempo... e apoiar e acreditar. Querem sangue? Eu dou-lhes sangue, se querem vencer juntos, há que sofrer juntos, e eu estarei ao vosso lado como um Leão. E não como um lagarto.

( O link segue para o um post brilhante, mais um, de um Leão, PLF na Bancada Nova)

A bem do futebol Português...

...Alguém que meta um treinador de futebol no banco do Guimarães e retirem o professor de Filosofia que está lá. É mau demais as exibições sofríveis, desligadas e desnorteadas de um grupo tão bom de jogadores.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Benfica 2 - 0 Trabzonspor



 Foi um Benfica previsível, o que entrou em campo hoje na Luz. Jesus tentou utilizar um onze base parecido com o da época passada, substituindo Sálvio por Enzo Pérez, o jogador mais parecido em termos de movimentação e capacidade técnica do plantel com o jogador Madrileno. 
  Benfica entrou dominador, mas pecava na saída de bola. Com os defesas a revelar enorme dificuldade na primeira fase de construção, a juntar à incapacidade de Javi Garcia de assumir o golo, era Garay o único elemento da defensiva encarnada capaz de verticalizar o jogo, nem que fosse apenas 20m à frente. Um grave lacuna na equipa de Jesus, que sem Coentrão e Maxi para encarrilarem a bola nos flancos, Luisão e Javi Garcia revelam-se (não agora, porque é sabido) incapazes de serem úteis à equipa com bola.
  A partir da meia hora, o jogo equilibrou-se e na segunda parte, foi mesmo a equipa turca que entrou mais forte, ameaçando várias vezes que estaria próximo o jogo. Com particular destaque para Adrian, Paulo Henrique e Colman, que com a sua qualidade técnica causaram bastantes desequilíbrios. Ao passo que Zokora secava Aimar, mas é precisamente quando entra outro médio centro para se juntar a Zokora e fechar caminhos, que o Benfica marca o golo. E a partir daí com confiança soube gerir melhor a bola, não arriscando e chegando ao segundo golo num golo fantástico de Gaítán. Talvez o 2-0 seja demasiado pesado para um equipa que se apresentou organizada e tentou várias vezes chegar ao golo, mas que não seja entendido como eliminatória ganha para o Benfica, pois jogar na Turquia nunca é fácil.

Artur - Acalma até o adepto mais nervoso. Transmite uma qualidade e tranquilidade essenciais à equipa. Com ele acabaram os calafrios na baliza. Ou muito me engano, ou Eduardo com esta transferência acabou de entregar as luvas do Euro ao Patrício, mas mais oportunamente falaremos disso.

Garay - Muito bom nos desarmes, e fantástico a forma como assume o jogo. Teve 4 ou 5 excelentes recepções de bola, que permite imediatamente à equipa sair a jogar com qualidade.

Luisão - Incompreensivelmente continua a envergar a braçadeira, mas como no futebol a memória é curta, teve 4 ou 5 desarmes vitais à equipa e a continuar assim, rapidamente retornará a ídolo.

Emerson - Atento, mas não exuberante como nos habituou o antecessor. Certinho, e mais participativo com o colega de lateral.

Aimar - Apagado, melhorou com o tempo, e é ele que "descobre" Nolito num passe só repleto de classe.

Enzo Pérez - Esforçado, mas apagado, terá que fazer muito mais.

Gaitán - Levantou o estádio com um golo soberbo e é de longe o melhor jogador encarnado. Com a passagem para o flanco oposto perde preponderância, e será interessante ver como Nolito poderá ir somando minutos sem "apagar" Gaitán.

Nolito - Entrou e apesar de não mexer imediatamente com o jogo, é dele o golo que transmitiu confiança. E teve mais 2 passes fantásticos para Cardozo. Complementando a análise em cima, espero para ver como coabitará com Gaitán.

Saviola/Cardozo - Movimentações interessantes mas que se revelaram sempre ineficazes, esforçados mas terão que melhor muito.

Witsel - Veio ajudar mais Javi e fechar a zona central, teve pouco tempo para se ver mais que a sua inteligência e o bom toque de bola.

Maxi - Não lhe vão dar férias? O rapaz não tem vitalidade. Mas vale descansar agora e regressar forte...

Jesus - Não sei se os jogadores já o ignoram, mas a maneira como gesticula, grita, esperneia e aponta é mais cómica que necessária. Não transmite confiança nem segurança...

sábado, 23 de julho de 2011

João Ribeiro




  Nutro uma especial simpatia pelo Vitória de Guimarães, e é com imensa pena que vejo que quando possui o melhor plantel da sua história (pelo menos da recente), tem um treinador de qualidade tão medíocre como Manuel Machado. A forma como organiza as suas equipas é atabalhoada, não existe fio condutor e normalmente depende sempre da qualidade individual dos bons jogadores que possui. Ver hoje as notícias da dispensa de João Ribeiro deixa-me atónito. Um jogador que o ano transacto foi praticamente sempre titular, que é jovem, e uma grande capacidade de aceleração de jogo, algo que só ele fazia o ano passado. 
  João Ribeiro é extremo, o ano passado jogou quase sempre no vértice dianteiro do losango de Manuel Machado, e com as suas constantes "saídas" de posição para as laterais e diagonais típicas de extremo consegui causar sempre muitos desequilíbrios nas defensivas adversárias. Lembrou que depois de um arranque fantástico no campeonato, na pausa de inverno falava-se no seu futuro, nos interessados e possíveis caminhos para a sua carreira. Hoje é emprestado a um clube turco. Grande parte do que um jogador é no momento, deve-se ao seu treinador. O que lhe pede,o que lhe dá, o que lhe transmite. E infelizmente, para João Ribeiro, Manuel Machado é medíocre como treinador.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Inevitável


Era uma questão de tempo. O "jogador à porto" chega a capitão.

Pobre Copa



 O Paraguai chega à final da copa América, sem ganhar nenhum jogo. Empatando os 3 da fase de grupos e os 2 a eliminar, acabar por vencer nos penaltys. Com um futebol absolutamente sem risco nenhuma, arriscando pouco ou nada. Jogando sempre na expectativa e no erro do adversário. O Paraguai faz lembrar a Grécia em 2004. É ridículo quando a competição continental que possui os jogadores mais tecnicamente evoluídos do mundo, produz espectáculo tão pobre e vazio de conteúdo. Que vença o Uruguai, a selecção do mundo com mais coração, garra e paixão. 

sábado, 16 de julho de 2011

Curtas Encarnadas

Jesus: Ao insistir em jogar com três números 10 ao mesmo tempo, perde capacidade de verticalizar o jogo nas alas, principalmente sem Maxi e Coentrão. A rever.

Nolito : É uma contratação fantástica, imprime velocidade a cada jogada, tem um drible curto muito bom.

Javi Garcia: Se por um lado é demasiado lento para dobrar alguém na defesa, aqui não se nota a sua falta de qualidade a sair a jogar.

Matic: Demasiado grande, parece que as vezes não tem "rins", falhou alguns passes fáceis.

Witsel: Jogou, na última posição que pensaria o ver jogar no meio campo. Não tem a magia de outros candidatos e pode render muito mais noutros lugares. Mas ainda agora chegou.

Artur: Não complica e vai ganhando pontos. Será Eduardo o concorrente?

Jara: Não é um jogador que aprecie particularmente, tenta resolver em força o que lhe falta em clarividência técnica, por vezes é algo trapalhão e decide na maioria mal os lances, mas ontem marcou um golo pleno de intenção.


Benfica: O meio campo deste Benfica é qualquer coisa de fantástico, a quantidade diferente de opções e de estilos ao dispor é algo muito bom. A Magia de Gáitan, Aimar ou Bruno César junta-se a explosão de Enzo, Nolito ou Urreta, as muralhas Javi e Matic, e a intensidade de Witsel. Um meio campo, que pode ser montado de várias formas, baseado em vários modelos de jogo, e que pode ser alterado em qualquer momento sem perder qualidade. Com tanto ouro, será que Jesus conseguirá extrair o melhor de cada um ?

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Fome e Fartura

  Época 2010/2011, com as lesões de Rúben Amorim, Gáitan e Salvio e as intermitentes paragens de Carlos Martins, o Benfica pecou e muito, por não ter alternativas no meio campo, principalmente nas faixas do terreno, onde, inexplicavelmente não havia uma única alternativa válida aos habituais titulares.

  Época 2011/2012, chegam Matic, Enzo Pérez, Bruno César, Nolito e Witsel. Entre vários outros estes parecem-me aqueles que mais possibilidades terão de discutir o lugar na equipa principal de uma forma regular. Juntem-se Aimar, Gáitan e Javi Garcia, e não consigo perceber como Jesus vai manter tantos jogadores satisfeitos, e a jogar, quando está sempre tão limitado àquela táctica. Se juntarmos à equação um Carlos Martins a querer minutos para ir ao Euro... Será um desenrolar interessante, a forma como Jesus actuará nesta questão...

  Duvido que para ter Witsel abdicará de Javi Garcia pois é um jogador importante na forma de Jesus abordar o jogo. Se jogar a interior direito de forma a equilibrar mais a equipa, Enzo Peréz terá pouco espaço. Matic é outra alternativa. Depois existe três números 10, Aimar, Gáitan e Bruno Cesár, que lutarão por dois lugares, estando sempre em inferioridade aquele que tiver que actuar na faixa... Já Nolito parece-me uma alternativa mais interessante como segundo avançado. O que há em fartura no meio campo, escassa na defesa. Onde a qualidade é muito inferior ao sector seguinte da equipa. Esperar para ver.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Estes jovens vão dar que falar



Acabou esta noite, no México, o mundial sub17. Foi um campeonato onde se assistiram a jogos de uma qualidade muito acima da média, onde apareceram miúdos muito promissores e que eu acompanhei com grande felicidade e entusiasmo. O vencedor foi a equipa da casa, o México. Um justo vencedor, é verdade, mas se qualquer outro dos semi finalistas, Uruguai, Alemanha ou Brasil tivesse vencido a prova, o troféu teria ficado igualmente bem entregue. Talvez o "factor casa" fosse aqui o decisivo, como se viu na meia final depois de uma reviravolta de 1-2 para 3-2, frente à Alemanha, que depois galvanizou estes jovens jogadores que ganharam a final ao Uruguai por 2-0.

Mas para mim o jogo e as equipas que merecem maior destaque são as que disputaram a "pequena final", Brasil e Alemanha. Duas equipas extremamente criativas no ataque, com uma grande organização ofensiva, movimentos muito fluidos e soltos, que só pecam por algumas desconcentrações a defender e falta daquela "ratice" do futebol que só se ganha com a experiência ao longo dos anos. Desta equipas há alguns craques que merecem destaque. Da Alemanha, o capitão Emre Can, jogador que alinha com a camisola 8, é o chamado médio box-to-box, grande segurança a defender, o primeiro a levar a equipa para o ataque e detentor uma qualidade técnica notável. O médio ofensivo/avançado Okan Aydin, um jogador muito atacante, que participa pouco no processo defensivo, mas que compensa com uma grande visão de jogo e trabalhos de pés que fariam inveja aos maiores criativos da actualidade. Por fim o ponta-de-lança da equipa, Samed Yesil, faz golos e oferece golos, um jogador com um faro para o golo pouco comum e dono de dois pés igualmente invejáveis. Sendo estes alguns exemplos dos jogadores de grande qualidade da Alemanha, era esta, para mim, a melhor equipa da competição. O Brasil, como é seu hábito, tinha uma equipa também extremamente talentosa, onde consigo destacar o nr 10, Adryan, um médio ofensivo com uma leitura de jogo de grande qualidade e muita facilidade a aparecer a finalizar e o avançado da equipa Ademilson, dono de um remate muito fácil e de uma grande mobilidade na área que abriu muitas vezes espaços para entradas de outros companheiros. O jogo entre entas duas equipas terminou em 4-3 a favor dos alemães.

Estes são apenas alguns exemplos dos valores observados no torneio. Posso estar enganado, mas alguns destes "meninos" vão ser os futuros foras de série mundiais e não demorarão muito a aparecer. Agora é só esperar para ver...

sábado, 9 de julho de 2011

Sport América e Benfica

  Incrível como vejo nos blogs e na impressa, nomeadamente nas áreas dedicadas ao Benfica, os adeptos e comentadores a discutirem ideias e constituições de plantéis. E o principal problema é terem que ter 8 portugueses na equipa, e terem estrangeiros que infelizmente não caberão no plantel. E as dúvidas é onde cortar, para lá ter que ter algum espaço para Portugal. Mas como é possível que ninguém se preocupe ou levante a questão, de não haver portugueses no Benfica. Como é possível o Benfica iniciar a época sem praticamente nenhum português capaz de lutar por um lugar no onze? E o problema é que não vão ter espaço para todos os sul americanos e alguns infelizmente terão que ir embora. Mas o que é isto?!!


sexta-feira, 8 de julho de 2011

Ai Benfica

 



 O Benfica está sem Portugueses. Sem identidade. Sem a tão badalada mística. 
  Foram-se os capitães Moreira e Nuno Gomes, adorados pelos adeptos, desprezados pela equipa técnica. Foi-se Coentrão o ídolo dos adeptos. É Carlos Martins o representante português da gloriosa mística encarnada? Não brinquem comigo. O Benfica está sem identidade. Os representantes da formação são Roderick ou Miguel Vítor que disputam um lugar, é Miguel Rosa e David Simão que disputam outro e é Nelson Oliveira que se ficar, pouco ou nada jogará. Fico a pensar que só lá estão, porque é obrigatório ter jogadores da "casa" para se jogar na Europa. Que chatice!!
  É contentores de sul americanos a chegar, e metade é para emprestar, metade da que fica não vinga, e metade da que vinga não faz melhor figura do que os que estavam ou até um português. Excepções? É de caras, aqueles que mal tocam na bola sabemos que são craques, como o Enzo Pérez ou o Bruno César, e mesmo assim não é garantido que vinguem na Europa. Haverá tantas e tantos, outros Filipe Menezes neste plantel, que a pergunta pertinente, é como é possível ninguém colocar um travão nisto? Será que é Jesus o dono do Clube? Não tem superiores que o chamem à razão ou coloquem ordem na casa?!
  De Mika, tenho pena, pois é mais um GR português que vai estagnar, encostado a 3º GR de um clube grande e que pouco ou nada jogará. E tinha futuro, importante agora era somar minutos, não perde-los. Do leiria, riu-me, pois 500m€ é um montante ridículo, para o que poderia vir a render, tem 20 anos!
  E assim o auto denominado "Clube de Portugal" está sem Portugueses.

Messi e Ronaldo

  "Messi criticado por não cantar hino Argentino".

  "Messi criticado por a Argentina não ganhar."

  "Messi fez mau jogo."

 Onde é que já vi este filme? É o peso de ser um grande jogador, mas não se pode esperar que levem as respectivas selecções às costas. Deleguem responsabilidade que o talento virá ao de cima.

  Ontem ouvi uma tirada brilhante: "O Messi nunca joga mal, os outros é que não jogaram suficientemente bem para a bola chegar em condições a ele."

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Holofotes





  Discute-se quem saí ou quem não saí no Porto. Discute-se porque ainda não saíram ou ainda não chegaram no Benfica. No Sporting, na acalmia gerada pela viragem dos holofotes da imprensa para outros lados, está pautinamente a planear a sua equipa. Sem loucuras, sem pressas, nem problemas.

  Já chegou uma alternativa para o João Pereira e até é da casa, já chegou um central rápido e inteligente e parece que vem ai a "besta" para jogar ao seu lado. A aposta em Evaldo é para continuar e por isso, parece que a alternativa é de futuro. Há dois novos médios para dar músculo e passe, Rinaudo e Schaars... a fazer companhia a Mátias e André Santos. E já há um avançado de escola holandesa.
  Nos próximos dias, se desembarcar na Portela um extremo fortíssimo que desequilibre e um homem de área... temos plantel para sermos fortes candidatos... dêem-lhes tempo!!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Uma questão de cultura


  Decorria o minuto 89' da meia final do Europeu de Sub-21, Espanha perdia 0-1 contra a Bielorrússia. Mas não parecia, parecia que ganhava, tal a a paciência com que continuamente trocava a bola, com passes curtos e lateralizações, repudiando completamente a tendência da verticalização do jogo, recorrendo ao jogo directo, despejando bolas na área à espera de um desvio. Mas isso não é a Espanha, Espanha é passe e posse, é tiki taka, é uma questão de identidade, de cultura, de um destino pensado, idealizado e que agora se concretiza.
  Quando ao minuto 89', numa série de passes pelo centro do terreno, trocas rápidas de bola, envolvendo 5 ou 6 elementos, circulação da bola ao corredor lateral para depois entrar em finalização, ninguém ficou surpreendido pelo golo, era uma questão de tempo até acontecer. Havia que ter paciência, e a Espanha tem imensa..
  Recomendo a visualização desse golo aqui, e já agora a obra de arte do Jeffrén no 3º golo..

No Chelsea..


...encaixas que nem uma luva.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Libertadores fica no "Vila Belmiro"




Durante esta madrugada o Santos venceu a Copa Libertadores, depois de conquistar a vitória contra o Peñarol do Uruguai por 2-1. Este feito que já não era conseguido há 48 anos começou a ganhar forma só no início da segunda parte, quando Neymar conseguiu marcar e fazer o 1-0. Perto do minuto 70, um jogador que está muito referênciado e que tem sido apontado ao Benfica, Danilo, conseguiu ampliar a vantagem e dar mais alguma traquilidade à equipa. O Peñarol ainda conseguiu reduzir, com um auto-golo de Durval, mas não foi o suficiente para acabar com a festa da formação brasileira. É possível que os autores dos golos do Santos venham para a Península Ibérica, portanto vamos esperar para ver.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Chelsea



"Esta é a minha cadeira de sonho"

"Se pudesse assinava um contracto de mais 15 anos"

O dinheiro chama e os "pequenos treinadores" vão.

Muitas dúvidas



Hoje entrou em campo o Benfica 2011/2012. 
  42 jogadores são a base do plantel encarnado.
  Baliza: Roberto, Artur, Moreira, Oblak e Júlio César.
  Defesa: Maxi, Luisão, Coentrão, Carole, Jardel, Miguel Vítor, Roderick, Fábio Faria, Daniel Wass.
  Médios: Javi, Rúben Amorim, Matic, Nuno Coelho, Carlos Martins, Aimar, César Peixoto,  Nico Gaitán, Rúben Pinto, Miguel Rosa, André Almeida, Bruno César, David Simão, Urreta, Nolito, Fernandez e Enzo Peréz, Filipe Menezes e Balboa.
  Avançados: Saviola, Cardozo, Kardec, Jara, Weldon, Rodrigo, Nelson Oliveira., Rodrigo Mora, Melgarejo.

Apesar de sabermos que certamente não ficarão todos, chegar a esta altura de época, com tantos jogadores indefinidos, com tantos por colocar e com posições chave ainda a necessitar de reforçar (Central e DE), revela alguns erros no planeamento, que terão que ser rapidamente reformulados.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Moutinho



E a melhor venda da época para o Sporting, não é Djálo, Patrício ou Carriço! É Moutinho!
A venda do ex-capitão para o Chelsea pode levar à entrada de cerca de 10M nos cofres leoninos.
Sem duvidar que o Porto continuará muito forte, estes dias prometem ser machadadas duras numa equipa que tinha tudo para mais uma época brilhante. Ao Sporting, vê o rival perder o treinador, vê perder o motor, eventualmente também o goleador e ainda recebe algum. Estes dias prometem!! 

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Tremores pelo país

  



A norte treme-se pela saída do miúdo maravilha. O técnico que devolveu a confiança, glória europeia e bom futebol ao dragão.
  A sul treme-se pela possível perda dos dois treinadores, para o norte. Pois são dos nomes ventilados para o cargo. E aqui se vê o tremendo poder do Porto. Pois o contrário seria impensável. Um dos grandes lisboetas pescar no Dragão, já o inverso, todos temem. Sinceramente, espero que o próximo campeonato seja fortíssimo, dos melhores que já houve nos últimos anos, o Porto confiante, um Benfica ferido de orgulho e o Sporting a necessitar de rugir. Perder o treinador nesta altura e neste contexto é um golpe profundíssimo nas aspirações de qualquer um. E nos próximos tempos, espera-se jogadas de bastidores, ou não, que podem decidir uma época.
  Qualquer treinador que vá, dificilmente nãos será queimado, logo ou chegará um estrangeiro ou terá que ser alguém que chegue aclamado pelos adeptos, o que só vejo em Jorge Jesus, que seria uma machada tremenda nos rivais. Nomes como Leonardo Jardim, Rui Vitória ou Paulo Bento, por várias razões não me parecem os indicados, pelos mais variados factores, mas o essencial, é que seriam um alvo facilmente combustível.
  Esperemos pelos próximos contornos da novela...

Neymar




É dos jogadores mais falados deste defeso, com o Real Madrid e o Chelsea a serem os principais interessados. Na época transacta os "Blues" chegaram inclusivamente a avançar com as negociações mas o jogador rejeitou a proposta de contracto pelo amor que tem ao seu clube, o Santos, afirmando que queria fazer história aí antes de dar outro passo na sua carreira. Esta época isso pode acontecer. Com a vitória no campeonato Paulista, a final da Taça Libertadores a disputar-se esta semana, em caso de vitória, apenas faltava o título do Brasileirão para o craque se despedir em beleza.


Este jogador é o "típico" brasileiro, ou seja, rápido, muito tecnicista e com alguma veia goleadora. Contudo não é um jogador que ajude muito a defender e a sua estrutura física é algo frágil, o que lhe vai dificultar um pouco a adaptação ao futebol europeu. Nada que com trabalho e tempo não seja conseguido, mas não sei se o Real Madrid será a melhor equipa para Neymar ter esta fase de adaptação que é necessária. Uma equipa que joga com a agressividade e ritmo que os merengues jogam não é a ideal para um primeiro impacto de um "brinca-na-areia" como este, o que aliás ficou provado com o caso de um compatriota muito semelhante a si, Robinho.


A sua chamada à selecção brasileira para disputar a Copa América vai dar a conhecer um pouco mais deste jovem jogador, que só terá idade de sénior na temporada que se avisinha. Vai merecer toda a atenção por parte dos grandes clubes europeus e poderá ficar aí definido o futuro do craque brasileiro. A ver vamos...

sábado, 18 de junho de 2011

Benedito






Jornalista: "O que acha deste jogo?"
Benedito: "Há ali mais 14 jogadores para falarem, este momento é do Sporting, não posso estar sempre com o microfone".



Se houvesse um líder, dentro e fora de campo, com este carácter e identidade leonina no futebol, estava o Sporting bem.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Muito mal sr. "Ministro" ...



As recentes declarações proferidas por Costinha sobre a política de contratações e sobre a organização do Sporting são no mínimo infelizes. Primeiro porque o que diz não é inteiramente verdade, pois o dinheiro que se gastou na sua altura em Valdés e Torsiglieri é semelhante ao gasto esta época em Wolfswinkel e Carrillo, apesar de o dispendido por jogador ser diferente, portanto também teve algumas condições. Em segundo lugar, Costinha esteve no clube quando este tinha uma diferente direcção e organização, logo não tem qualquer legitimidade para tecer qualquer tipo de críticas, mesmo que a direcção se mantivesse não tinha, mas assim tem ainda menos. Entristece-me ver uma pessoa que admirei muito enquanto jogador ter este tipo de atitudes quando passa a vestir um fato "bonitos" todos os dias, mas é assim o nosso dirigismo e a maioria das nossas mentalidades. É pena...

Uma questão de Profissionalismo.



Tenho que reconhecer, nutro por Izmailov uma admiração muito grande. É um jogador que me enche as medidas, sabe jogar e pôr a jogar. Gere como ninguém no Sporting os ritmos da equipa, sabe se posicionar, é rápido mas a bola anda sempre colada ao pé, remate bem, passa ainda melhor.
Quando toca na bola, emana classe. Se não fosse as lesões, era um jogador para muito, muito mais!
Como amante do desporto, espero que 2012 seja o teu ano, e será certamente.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Miguel Fidalgo




 O melhor ponta de lança português, para além de João Tomás a actuar num clube que não os três grandes, acaba de assinar pelo Setúbal. Bem, mas não é assim tão difícil, englobar os três grandes neste número, o Porto não tem nenhum português, no Benfica está de saída o Nuno Gomes, logo resta-nos Postiga e Saleiro, se o primeiro é incontornavelmente melhor, o segundo não está assim tão acima, pois Miguel Fidalgo está a somar minutos que lhe vão permitindo evoluir e amadurecer o seu jogo.
  Exímio jogador de área, procura muito bem espaços entre os defesas, e é muito forte na finalização. Não é um avançado muito móvel, nem particularmente combativo, pode-de dizer que é um avançado à antiga, ou seja um homem de área, um matador.
  Estou curioso de ver o que Bruno Ribeiro irá fazer do seu Setúbal, ponta de lança já tem. Às vezes não é preciso ir às distritais do Brasil...

segunda-feira, 13 de junho de 2011

AS Roma





    Vira-se a década e vira-se uma nova página na história desse colosso do futebol italiano: AS Roma. Depois de um início de século fulgurante com um título, e um segundo lugar, em 2003 começou-se a escrever em tons cinzas a história. Arredada da luta pelo título, com imensas classificações a meio da tabela, e apenas com dois 2ºs lugares sempre atrás dos rivais de Milão, esquecida na alta rota do futebol europeu e com uma equipa desfigurada e sem figuras de relevo (Totti, como sempre é a excepção), sempre com apostas falhadas no treinador típico italiano, surge agora um sangue novo.
   Luís Henrique foi apresentado como o novo treinador da equipa dos imperadores, o ex-treinador do Barcelona B estava a desenvolver um trabalho fantástico na cantera catalã, dominando a segunda divisão espanhola, com exibições de encher o olho, e com números impressionantes, apontado como o grande sucessor de Guardiola, Luis Henrique decidiu ir apostar o seu futuro noutro país (como Guardiola fez enquanto jogador...). Chega a Roma como a antítese de tudo aquilo que é o futebol italiano. Será um choque de culturas, mas talvez seja isto que o futebol italiano esteja a precisar, um futebol que parou no tempo e não evoluiu, que vive das tradições e da história e a cada ano vê se alargar o fosso que o separa de outros campeonatos colossos. Basta ver a força que as equipas italianas começam a perder na Europa. Algo contrariado por um luso-Inter, mas se tivermos em conta que eram elas que lideravam a Europa, é porque alguma coisa se alterou... 
   Roma sempre teve uma conotação aristocrata, a Lazio sempre foi a equipa do povo, e Roma dos Imperadores. Será essa a obrigação de Luís Henrique, um jogador que me muito admirei num fantástico Barcelona, ser um Imperador entre feras, um verdadeiro Gladiador!
   Parece que exigiu 2 laterais, 1 central e 1 médio. Parece-me pouco, acho que a esta Roma falta consistência mas também um verdadeiro desequilibrador, algo que Totti já não é. As opostas fala-se serão praticamente todas em catalães, seus conhecidos. Luis Henrique não pode cometer o erro de querer fazer um mini-barcelona em Roma. Terá que se adaptar as contingências da nova realidade. Mas não tenho dúvidas que veremos a Roma a jogar futebol como à muito não se via. Veremos a Roma novamente lá em cima, no seu lugar, e veremos finalmente Rossi a ter uma equipa à sua altura. 

sábado, 11 de junho de 2011

Vantagem na Luz!






 Depois de um empate a 4-4, sendo que quase todos os golos foram marcados no último minuto, a decisão foi levada a penaltys onde um nome abrilhantou ainda mais o grande espectáculo de futsal que foi o jogo de hoje!! João Benedito defendeu os 3 (!!!) penaltys e deu a primeira vitória ao Sporting na fase final !!
Ah Leão!!!

Quaresma


Todos os anos é falado. Todos os defesos é desejado. Todos as vezes, é adiado.
É uma paixão que há muito viu separada os seus amantes.
Mas se há jogador que leve os sportinguista ao estádio, que o encha, que venda camisolas, que venda sonhos, que faça acreditar, que delicie a plateia, é este.
Individualmente se quer estar no Euro, o passo a seguir é esse. Colectivamente, se quer cativar os sócios, o jogador é este. Desportivamente, Domingos terá que domá-lo.
Mas que não haja dúvidas. Faltam nomes que cativem os adeptos. Que encham estádios.

No dia que o anunciassem, acreditar-se-ia. Sonharia-se. E levantar-se-ia os adeptos, retornariam paixões esquecidas. O Sporting rugiria.
Pode ser algo irracional, mas o amor a um clube não é isso mesmo?!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Promessas Eleitorais





Wendt
Rodriguez (Feito!)
Bobô
Garay
Alex Silva
Hugo Almeida
Zahavi


Não colocando em causa a necessidade das contratações. Até porque se perspectiva que se irão mesmo fazer, e não sendo estes serão outros os jogadores contratados. O balanço que fica, é que na campanha valeu de tudo, todos os nomes foram falados e atirados ao ar para angariar votos. E no final, tudo se esfumou. E afinal, não era bem isto que se precisava, as necessidades são outras. "Baseado na análise ao plantel, talvez não seja necessário contratar todos os nomes pensados". Ou algo do género.

Futuros craques europeus





Vai começar amanhã, dia 11, o Euro Sub21, na Dinamarca. É uma prova que é aguardada com alguma ansiedade, pois é aqui que costumam aparecer os futuros titulares das respectivas selecções A. Esta edição da competição traz uma herança algo pesada, pois na edição transacta, que se jogou na Suécia, viu-se jogar duas equipas fantásticas que se encontraram primeiro na fase de grupos e depois na final. A final foi um jogo de grande qualidade, apesar de o resultado ter sido muito desnivelado, com a Alemanha a bater a Inglaterra por 4-0. Mas nesta final exibiram-se alguns jogadores, que 1 ano depois já faziam parte das respectivas selecções A, no mundial da África do Sul, ou que neste apuramento para o Euro 2012 são presenças assiduas da sua selecção. Estou a falar na Alemanha de Neuer, Jérôme Boateng, Khedira e Ozil e na Inglaterra de Micah Richards, Milner, Adam Johnson e Theo Walcott. São todos jogadores fantásticos que jogam actualmente em grandes clubes e que deram muito nas vistas nesta competição. Esperemos que a edição deste ano esteja também repleta de jovens craques, onde a Inglaterra e a Espanha são as favoritas para vencer a final de dia 25 de Junho. Posso adiantar alguns nomes como De Gea, Bojan e Mata do lado da Espanha e Smaling, Sturridge e Sinclair do lado da Inglaterra, que vão seguramente brilhar neste europeu.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

De Belenização a Barcelonização




  Hoje numa crónica do jornal O Jogo, que li na edição online, fala desta comparação. E passo a citar : "Não há Messi, houve Ronaldo; não há Xavi, houve Moutinho; não há Iniesta, há Nani", mas se estes são os nomes de destaque acrescentaria ainda, não há Valdés, há Patrício, não há Pedro, há Djálo (verticalidade), não há Busquets, houve Miguel Veloso. Obviamente que algumas comparações são injustas para os leões, mas deve-se ao contexto Barcelona, a valorização dos seus activos. Busquets, noutra equipa não brilharia metade. Djálo num modelo de jogo enquadrado, valeria o dobro. Apesar da valorização que possam ter ou não os activos de cada um, qual é no fundo a grande diferença entre estes dois projectos com bases tão sólidas? A manutenção desses activos. Não ficámos com ninguém, não aproveitamos os melhores anos dos nossos jogadores, e não os enquadramos num modelo de crescimento qualitativo ao que se espera deles futuramente.
  Imaginemos uma equipa formada por Patrício, Emidío Rafael, Carriço, Veloso, Martins, Hugo Viana, Moutinho, Nani, Varela, Ronaldo e outros. Capaz de se bater com a Europa. Juntando-se 2 ou 3 valores seguríssimos e de qualidade (Daniel Alves, Mascherano, Abidal, Keita, Villa...) e parece uma receita perfeita.
  Mas o Barcelona não apareceu do pé para a mão, é preciso trabalho, planeamento e tempo. E algo vital para o projecto, uma equipa B, mas no contexto certo como PLF constantemente e sabiamente defende na Bancada Nova. Integrar progressivamente as pérolas num contexto vencedor e poli-las, e não simplesmente lança-las as feras e exigir mundos e fundos, que levem a equipas às costas (Moutinho) ou que sirvam para pagar a dívida (Hugo Viana...). Mas terá que ser obrigatoriamente o caminho a seguir.
  O acordo com o Atlético, parece-me um Real Massamá II, e dai não retiramos proveito nenhum. O campo não se adequa ao modelo, nem a divisão. 
  Pede-se urgentemente que se repense a situação juvenil do futebol leonino, é preciso ordem, e tempo. Mas o futuro é já ali, e ou se planeia conscientemente ou se perde o comboio da formação, e o seu contexto único no futebol leonino.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Deixem jogar o Mantorras!

Depois de 10 anos de águia ao peito, Mantorras, sai do Benfica para ir jogar para a sua terra natal, Angola, para o 1º de Agosto. Este jogador que se encheu de carisma e ganhou um grande carinho dos adeptos benfiquistas, foi dos únicos que eu vi ser extremamente ovacionado sempre que entrava em campo no Estádio da Luz. Isto num clube como o SLB é extremamente raro e difícil! Mas esta decisão de abandonar o Benfica peca por tardia, na minha opinião. Depois da grave lesão que teve, que o fez passar ao lado de uma grande carreira, e de ter dado um grande contributo para a conquista do título em 04/05, o camisola 9 já devia ter saído do "Glorioso". Foi preciso estar 2 temporadas sem realizar qualquer jogo, para o angolano e o clube chegarem a esta decisão. Foi bastante prejudicial para ele não ter tomado esta decisão mais cedo, pois ao manter-se num clube que joga sempre ao mais alto nível foi sempre muito difícil para um jogador na sua situação física fazer uma época minimamente regular. Se já tivesse saído para um clube de uma dimensão mais pequena, num capeonato menos competitivo, era possível que tivesse evoluido mais como jogador e tivesse garantido um lugar indiscutível na sua selecção. Assim espero que neste final de carreira consiga ter algum sucesso no futebol africano.


Uma questão de centímetros!



  Numa defesa tão criticada devido à sua baixa média de altura, chegaram dois jogadores de elevada estatura para resolver esse problema. Torsiglieri e Nuno André Coelho chegaram como salvadores de uma defesa de baixinhos, dois pinheiros para cortar tudo o que fosse bolas pelo ar.
  Passou-se uma época, e de nada valeu esses centímetros, apesar de medíocre em termos globais, a defesa foi sempre apontada como o grande problema da equipa, cometendo vários erros de nível demasiado básico para a realidade sportinguista. Com as eleições prometeu-se contratações e a defesa foi sempre apontada como um alvo prioritário, principalmente o centro da defesa. Eram necessários grandes jogadores.
  Com o desenvolvimento do defeso, saíram dois dos defesas, por sinal os dois mais altos e entrou apenas um com a mesma altura dos que ficaram (1,82cm). Ainda falta chegar um jogador para essa posição, mas procura-se grandes jogadores e não jogadores grandes, o que é profundamente diferente
  Apesar de importante, os centímetros não são tudo num defesa central. Concordando que o empréstimo de Torsiglieri para um defensivo campeonato italiano pode ser bastante inteligente para a evolução do jogador, a saída de NAC para Braga, parece-me uma jogada muito pouco inteligente. Espero que não nos venhamos a arrepender desta provável saída a custo zero. Ainda por cima dividindo um eventual lucro com 2 rivais...
   Mas NAC no Braga é mais que uma saída a custo zero, é um saldar de dívidas de passes de outras compras parece-me... Ou isto, ou um péssimo acto de gestão.

Nuno Gomes : o Fim


 Não é assim que se tratam os ídolos, as referências, os líderes. Merecia mais, muito mais. Saí pela porta pequena...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Até sempre "Fenómeno"...



Nasceu a 22/09/1976 um dos jogadores mais fabulosos que tive o prazer de ver jogar e que marcou certamente uma década do futebol mundial. Foi com os seus tenros 18 anos que Ronaldo Luís Nazário de Lima, começou a dar nas vistas no "Brasileirão". Numa época muito produtiva fez 49 jogos e marcou 45 golos ao serviço do Cruzeiro, o que lhe valeu logo uma chamada ao campeonato do mundo desse ano, 1994, nos EUA. O jovem craque envergou a camisola 20, mas não conseguiu ser chamado pelo treinador Carlos Alberto Parreira a participar em qualquer jogo. No entanto o Brasil celebrou aí o seu tetra campenato mundial e o jovem Ronaldo participou na festa da selecção capitaneada por Dunga. Assim que terminou esta aventura em terras do tio Sam, Ronaldo, viu a sua vida tomar um novo rumo, com a vinda para a Europa, mais propriamente para os holandeses do PSV Eindhoven. Cumpriu aí duas temporadas, onde num total de 57 jogos alcançou a marca dos 55 golos, algo notável para um jovem brasileiro que tinha acabado de chegar ao velho continente. Foi aí que o Barcelona de Guardiola, Figo, Luis Enrique e companhia, decidiu contratar o jovem "Fenómeno". Foi uma época de sonho a que o nº9 viveu em 96/97 na catalunha. O Real Madrid foi o campeão, mas o Barcelona venceu a Copa do Rei e a extinta Taça das Taças e no total Ronaldo marcou 47 golos em 49 jogos. Num negócio de verão inesperado, o jogador brasileiro, tranferiu-se para o Inter por 32M$. Fez aí uma primeira época ao seu habitual nível, culminada com o Mundial de França, onde o Brasil perdeu com a anfitriã na final, já com Ronaldo titular indescutível. Depois deste percurso notável, começou a fase negra de lesões do craque brasileiro. De 98/99 a 01/02 participou apenas em 52 jogos pelo seu clube, marcando 25 golos. Mas depois de todo este drama veio o mundial da Coreia/Japão, onde o Brasil treinado por "Felipão" e com Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho ao leme, conseguiu celebrar o penta-campeonato. Foi um mundial assombroso do "Fenómeno", que parecia renascido, queo fez voltar a Espanha, mas desta vez para o Real Madrid, de Florentino Peréz que estava a formar a equipa dos "Galáticos". As três primeiras temporadas com a camisola merengue foram ao nível que Ronaldo nos tinha habituado, mas a partir daqui começaram a surgir problemas devido há crise de vitórias que os "Galáticos" atravessavam, juntamente com um repentino ganho de peso, que fez com qque a velocidade que o caracterizava se fosse perdendo. Ficou em Madrid até ao fim de 06/07, onde jogou pelo meio o seu ultimo Campeonato do mundo, Alemanha06, onde apesar do fraco desempenho do Brasil, Ronaldo conseguiu ficar na história ao tornar-se o melhor marcador em fases finais com 15 golos. Anunciava-se assim, a fase descendente do goleador, com mais duas épocas no Milan, seguida de uma pelos brasileiros do Corinthians, onde a dificuldade em se movimentar e mais algumas lesões foram os pontos fortes deste seu infeliz terminar de carreira. Esta noite, pela selecção brasileira, vai fazer ser homenageado, fazendo os seus últimos minutos. Um prémio inteiramente justo para o eterno nº9, pois foi um dos avançados, mais velozes, melhores no 1 contra 1 e com maior capacidade de finalização que já passou pelos relvados. Foi pena não ter tido o final de carreira que merecia mas o mundo do futebol nunca se irá esquecer deste jogador, que ficará eternamente conhecido como o "Fenómeno"...

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Klose



Klose deixa o Bayern ao fim de 4 anos. Olha aqui está um avançado que seria certamente uma máquina d efazer golos em Portugal. Não tem retorno, mas também não tem custo do passe. É um investimento em ordenado e em golos. E era mau ?

Febre de selecções no continente americano

















Começou esta madrugada, nos EUA, mais uma edição da Gold Cup. Esta é a prova de selecções, que coloca frente a frente, as melhores nações da América do Norte e Central. Joga-se de 2 em 2 anos e o actual campeão é o México. O detentor do título é naturalmente um dos favoritos, juntamente com EUA, pois são as selecções participantes que têm melhores jogadores, um melhor modelo de jogo e mais tradição de vencerem esta competição. Contudo selecções como as Honduras ou a Costa Rica podem tentar intrometer-se no caminho das duas maiores potências deste continente. Dia 25 de Junho será encontrado o novo campeão.


Dia 1 de Julho vai começar a Copa América, na Argentina. São as selecções da América do Sul que disputam esta competição, que nesta edição conta com dois convidados, o Mèxico e a Costa Rica. A última equipa a vencer a prova foi o Brasil, mas ao desenrolar-se no país das pampas, Messi e companhia querem certamente erguer o troféu. Estes são os dois eternos candidatos à vitória final, mas Uruguai, Paraguai, Chile ou até México poderão ter uma palavra a dizer nas contas finais. A prova termina dia 24, jogando-se a final em Buenos Aires.

sábado, 4 de junho de 2011

A Caminho do Euro






 O jogo começou com uma primeira parte com pouco futebol. Ter posse de bola não é tudo, é preciso saber utiliza-la ou seja, retirar partido dessa mesma quantidade e dar-lhe qualidade. O que não aconteceu. Com os três médios muito marcados, e a ter pouco espaço para jogar, simplesmente fazia-se posse e não se progredia no terreno. Raul Meireles falhou imensos passes na construção, o que também se deve à Noruega estar a jogar com linhas muito próximas, mas como 1º construtor de jogo e um porto seguro de posse de bola, Meireles não pode ter um aproveitamento tão baixo de passes. Carlos Martins e Moutinho estiveram muito apagados e a não aparecerem nenhuma vez como apoio frontal do avançado, e foram as inúmeras segundas bolas que caíram nessa zona. Na frente, Postiga batalhou imenso mas pouco conseguiu fazer, estava muito desapoiado entre as torres. Nos extremos Nani evidenciou-se mais que Ronaldo pois assume o jogo, arrisca no 1x1 e Ronaldo excepto no livre, mal se viu. Não pode continuar a acusar a pressão desta maneira, terá que arriscar e partir para cima dos adversários mais vezes, pois tem todas as qualidades para ti. Com os laterais a avançar imenso no terreno, ainda sofremos alguns calafrios, e 2 deles foram na sequência de cantos...a nosso favor. O que é impensável. Muito bem esteve Eduardo a segurar o empate com uma defesa de dificuldade elevada. E assim se chegou ao intervalo com a Noruega mais próxima de ter marcado que Portugal.
  Numa segunda parte com igual falta de qualidade, Portugal chega ao golo através de um lance pleno de oportunismo de Postiga, e a partir daí pouco mais se viu de Portugal, a não ser Ronaldo a falhar num lance que raramente falha e um eclipse final de Nani. E com a ausência da magia destes dois, pouco mais teve Portugal.
  Uma exibição suficiente, a saber a pouco a muito pouco. 
  

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Ricky van Wolfswinkel





  Segunda a notícia avançado pelo blog visão de mercado (e confirmado na CMVM)  Ricky van Wolfswinkel é o novo Avançado do Sporting. Com 22 anos, 1,85m e 69Kg era o avançado do Utrecht e foi o melhor marcador da equipa. com 17 golos (7 de penalty). Com imensa margem de progressão e cobiçado por alguns clubes na Europa chega ao Sporting a troco de uma significativa soma de dinheiro (5.4M€)

  Esta contratação mais que do valor do jogador, marca um significativo avançado no método de contratações Leonino, pois foi um jogador pouco ou nada falado, não era um alvo apontado e é um negócio completamente inesperado. Finalmente trabalha-se em Alvalade! Uma verdadeira política de contratações! Agora é ver se foi uma excepção ou se será a regra. 

Porto versão Champions 2011/2012



  Depois te de efectuado uma análise ao que esperava do Benfica para a próxima época em termos de planificação da equipa, realizarei a mesma análise para o plantel portista.
   É a equipa portuguesa do século com melhores jogadores. E talvez seja a melhor equipa, a ver vamos na próxima época. Aqui a grande comparação é a equipa de 2004 treinada por José Mourinho. André Villas-Boas terá que arcar com essa comparação, se bem que injusta, pois ele nunca a procurou e sempre que possível descarta essa análise comparativa. 
  O Porto de Mourinho conseguiu atingir um nível táctico e colectivo quando venceu a Champions, que este Porto ainda está a procurar encontrar. E não se pedirá a AVB que ganhe a Champions para a próxima época para conseguir atingir esse patamar. Mourinho teve todo o mérito - pois chegou lá, mas muito sorte, pois essa época foi atípica e chegar à final da Champions foi muito culpa de uma conjuntura fantástica europeia, onde várias equipas estavam em fase de renovação ou reestruturação, algo fantasticamente aproveitado por Mourinho e com imenso mérito! Hoje em dia (ou melhor na próxima época) pedir a AVB que rivalize com a melhor equipa da história ( Barcelona), com a equipa com o melhor treinador da história (Mourinho), com um Manchester que se irá renovar e com um Chelsea sedento de Champions e que - novamente - investirá forte no defeso, é uma loucura. Poderá medir forças com um, e num dia excepcional talvez ganhe, mas dificilmente chegará novamente à final. E nisso AVB é bastante objectivo quando fala num objectivo claro de atingir os quartos de final. E já terá que ter sorte no sorteio dos oitavos. Mas é objectivo atingível. Pois temos equipas milionárias como City, Inter e Milan que em termos colectivos não são melhores que este fantástico Porto. Não exagerarei ao considerar o Porto e Arsenal, junto com os 4 favoritos que falei as 6 melhores equipas da prova. Não com os melhores jogadores. As melhores equipas. Este Porto é um portento de equipa. De táctica. O grande desafio deste Porto para já, é segurar este plantel, depois pense noutros voos.

Baliza:
   Hélton, é o capitão e transmite uma segurança à equipa excepcional. Não sairá e estará bem secundado pelo seu futuro sucessor Beto, que sempre que é chamado está à altura do desafio como se provou em alguns jogos nesta recta final de época. A única mudança talvez seja a saída de Kieszek, e uma aposta em Ventura?

Defesa Direito: 
  Sapunaru continuará, e apesar de ser o patinho feio da equipa, é um jogador importante no processo defensivo da equipa, pois dá bastante auxilio ao centro da defesa, o que compensa imenso o outro flanco. Fala-se que Fucile poderá sair. Aqui está uma notícia a reter, Fucile era um jogador importante porque era uma alternativa bastante válida para os dois flancos defensivos da equipa. Mas é um crime resumir-se a isso, pois tem imensa qualidade, e ele quererá outros voos, outros minutos nas pernas. Há também o regresso de Miguel Lopes emprestado ao Bétis, mas as alternativas nos flacos resumirem-se a Miguel Lopes e Emídio Rafael é demasiado pouco, demasiado jovem e inexperiente para estes voos.

Defesa Esquerdo:
  Quase com toda a certeza Álvaro Pereira continuará e ainda bem, pois é fundamental para a equipa. A dinâmica que transmite ao seu flanco é algo extraordinário, e ainda consegue ser um elemento capaz a defender, e não um mero lateral ofensivo, Emídio Rafael continuará como sua alternativa, uma aposta de AVB.

Defesa Central:
  A posição que provavelmente mais rotação conheceu esta temporada. Rolando indiscutível alternou com Otamendi e Maicon. Mas isto foi possível graças a uma brilhante estratégia defensiva, a um posicionamento táctico imaculável. Pois noutros voos, Maicon não pode contar, comete demasiados erros para ser uma opção de .. Champions. E faltará aqui uma alternativa válida, pois Sereno nunca contou para central, apenas a lateral e deverá ser uma posição que conhecerá novo elemento. E terá que ser bastante válido.

Médio Defensivo:
  Fernando deverá sair. E é um jogado algo sobrevalorizado na imprensa portuguesa, pois considero-o um jogador bastante limitado no processo ofensivo. E é algo que AVB dá bastante atenção a qualidade de posse na saída de bola. Souza deverá continuar a crescer, mas deverá entrar um jogador novo. Que não se limite a ser um 'trinco'.

Médios Centros :
  Quantidade, qualidade. Jogadores intensivos, maestros, de contenção, de físico. Há de tudo nesta enorme variedade e qualidade de médios centros deste Porto. Bellushi é um jogador com uma técnica elevadíssima mas de enorme responsabilidade competitiva, Moutinho um jogador de alta rotação que assenta que nem uma luva no modelo de jogo, Guarín faz da força a sua imagem, impõem-se através dela, mas tem toda a inteligência e técnica de um médio ofensivo. Cada vez a dar mais cartas, ainda há Rúben Micael que estagnou um pouco na época passada, mas também os rivais são de peso. Mas é um jogador com uma elegância e classe pouco comuns. É mais um 10 à antiga que um box-to-box e por isso também perca tempo de utilização. E ainda há Castro..

Extremos :
  Duvido que haja outra equipa que consiga ter tantas e tão boas opções para a mesma posição e praticamente ao mesmo nível: Hulk, Varela, James Rodriguez, C, Rodriguez e Mariano. E ainda há Ukra que ficará mais um ano em Braga, e Diogo Viana a rodar na Holanda mas com uma enorme qualidade.
  Hulk não sairá, nem James que tem um potencial enormíssimo. Tem tudo para ser um jogador de top. Tem que crescer com o tempo, e está a ser lhe dada essa oportunidade, há que aceitá-la. Mariano termina contrato e irá se embora, e o mesmo pode acontecer com C.Rodriguez ou com Varela. Mas a qualidade continuará lá toda. Não tivesse o Porto já se precavido - como é seu hábito...- e contratado nada menos que duas das maiores promessas sul americanas, Kelvin e Iturbe, só o novo Messi...

  Avançado:
  Falcão, Falcão, Falcão. É tudo dele, o melhor avançado que passou por Portugal nos últimos tempos. E não sei se será melhor que Jardel, mais completo é de certeza. É um jogador enorme e com um índice de trabalho e carácter correspondentes à qualidade. Dele quer-se Golos e tem-se. Walter é uma enorme promessa e quando chamado fez os seus golos e mostrou qualidade, mas não parece ser uma aposta forte de AVB, muito devido aos factores extra-futebol que se fala. Deverá entrar pois um 3º elemento que dê ainda mais capacidade à equipa. Talvez um jogador mais alto que os actuais e jogue melhor no choque. A ver vamos.

  A certeza que eu tenho é que o Porto de 2011/2012 será ainda mais forte que o actual, terá mais opções e será mais coeso, e só assim se começa a construir as grandes equipas. Com tempo, qualidade e vontade.
  É o grande candidato ao título, que não restem dúvidas.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Imprensa cor de rosa

  A imprensa desportiva está transformada numa verdadeira roleta russa. É atirar nomes ao ar a fim de acertar em algum, todos os dias é novos jogadores a entrar! É uma festa! Conteúdo ? Zero! Onde pára o jornalismo desportivo? O verdadeiro...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Uma Lenda


  Xavi Hernández nascido a 25/01/1980 prova que os jogadores não se medem aos palmos. Numa época cada vez mais de físicos evoluídos e trabalhados, o futebol começa a ser uma fábrica de músculos. Procura-se a velocidade, a força, a pujança. Pois pode-se trabalhar. Já a criatividade, fantasia e inteligência são mais raros. São atributos unívocos a cada um. Não se procura, possui-se. Xavi é uma imensidão de jogador em 1,70m de altura apenas. Que não haja dúvidas que é o verdadeiro motor na máquina que é este Barcelona.
  Muitas vezes ignorado, outras subvalorizado. Xavi é a verdadeira essência do jogar à Barça. É a cultura de uma cidade, de um clube, de um povo. Tantas vezes ignorado pela crítica, pelos adeptos, pelos jornalistas. Pelos colegas de profissão. Não vencer a bola de ouro no ano transacto foi dos actos mais tristes a que já assisti no mundo do futebol. Pois ele mais que ninguém representava o futebol premiado: o espanhol/Barcelona. Foram eles que nos deliciaram com o perfume do futebol, em Espanha, na Europa, no Mundo. Mas mais uma vez foi ignorado, preterido por um colega que é o melhor do mundo, mas não foi o melhor do ano passado. E se não foi, nunca mais será, e assim se facilitará um processo de ensombreamento de sua estrela. Até ao esquecimento. Mas os verdadeiros amantes de futebol, que como eu, aspiram a ver o perfume do seu futebol, nunca se esquecerão a sua dimensão, o seu futebol e assim se formará uma lenda. Comparando o Barcelona a um Porche, é o design que vende, é o conforto que dá confiança, é a qualidade que nos delicia, é a fama que faz história. Mas é o motor que torna tudo possível, e transforma um carro numa lenda. Xavi merece muita mais do que tem. Merecia um mundo a seus pés.
  No sábado no auge dos seus 31 anos conquistou a sua 3ª Champions, sendo o jogador que mais distância percorreu (11.95km) e que mais uma vez deslumbrou com a sua qualidade de passe (91%) com 124 passes certeiros para os colegas, mais ninguém em campo jogou tanto à bola como ele. 
  Capitaneou a equipa com classe e bravura, e quando Puyol entrou em campo, num gesto pleno de humildade e respeito, Xavi desceu dos ceús e entregou a braçadeira ao colega de equipa. Mais que um jogador, um homem. Assim se formam as lendas.